CORREIAS INDUSTRIAIS

 
 

Correias especialmente desenvolvidas para trabalhar nas mais diversas aplicações e exigências. Seu núcleo é confeccionado em borracha adequada para resistir à compressão, fadiga e calor; fios de poliéster ou aramida, par ao máximo de resistência e mínimo alongamento, envoltos por envelope em tecido emborrachado para dar proteção e maior adesão às paredes das polias. Os tipos de correias industriais mais usuais são:

  • V INDUSTRIAL: Tipo padrão. COnstruídas nos perfis A, B, C, D e E, de acordo com a norma RMA IP-20, são as correias mais usadas nas transmissões existentes.

  • MERCO V SUPER: Tipo estreito e de maior capacidade de transmissão. Construídas nos perfis 3V, 5V e 8V de acordo com a norma RMA IP-22, ou nos perfis SPZ, SPA, SPB, SPC, de acordo com a norma DIN 7753.

 

 

 

Perfil
B
H
NORMA
A
13
8
RMA
B
17
11
RMA
C
22
14
RMA
D
32
19
RMA
E
39
24
RMA
3V
9,5
8
RMA
5V
15,9
14
RMA
8V
25,4
22
RMA
SPZ
9,7
8
DIN
SPA
13
10
DIN
SPB
16
14
DIN
SPC
22
18
DIN
 

As dimensões acima são nominais e devido ao processo produtivo de cada fabricante podem ocorrer variações nas mesmas, porém todas as correias devem trabalhar satisfatoriamente em polias padronizadas conforme normas RNA e DIN. Pelo mesmo motivo, não se deve misturar correias de diferentes fabricantes em um mesmo jogo.

O comprimento exato é obtido por cálculo matemático, devendo ser utilizado um dispositivo de medição conforme normas, o qual é composto por polias padrão às quais se deve aplicar uma força tensora, medindo a distância encontrada entre centros. Clique no nome das correias abaixo para conhecer mais:

DIMENSÕES PARA CONFECÇÃO DE POLIAS

RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

INSTALAÇÃO
- As polias devem estar sempre bem alinhadas, pois o alinhamento incorreto resultará em redução da vida útil da correia;
- As correias devem obedecer ao perfil e comprimento adequados para a sua aplicação específica de acordo com o projeto da máquina;
- Os canais das polias devem estar sempre livres de graxa, óleo, sujeira e rebarbas;
- As correias devem ser colocadas nas polias sem nenhum esforço ou auxílio de ferramenta.

MANUTENÇÂO
- Verifique o tensionamento das correias regularmente, principalmente nas primeiras horas após sua instalação;
- Quando a troca for necessária, deve-se trocar todo o jogo e todas as correias devem ser do mesmo fabricante. Nunca misture correias novas com usadas;
- As correias devem ser mantidas limpas, sem óleo, graxa ou sujeira;
- Verifique os rolamentos e a lubrificação ou qualquer objeto que possa interferir na transmissão.

ESTOCAGEM
- Para que não se deformem, as correias devem ser estocadas sem tensão ou pressão, em lugares frescos, secos e com pouca iluminação, longe de elementos que possam prejudicá-la.